Visitar o túmulo de entes queridos é correto?

12:17 0 Comments A+ a-




Você pergunta: Minha mãe morreu faz cerca de 5 anos. Desde então eu tenho uma dúvida muito grande se é correto eu visitar o túmulo dela. Eu sou evangélico e tenho dúvida se isso seria algum erro de minha parte. Mas em alguns momentos me bate uma saudade dela e eu vou lá e me sinto muito bem em fazer isso. Existe alguma orientação na Bíblia a respeito disso? Podemos visitar o túmulo de pessoas que já morreram?
Caro leitor, sua pergunta é bem interessante. Eu gostaria de fazer algumas ponderações sobre esse assunto que, creio eu, te ajudarão (e também a outras pessoas) a refletir sobre as boas práticas a respeito da nossa postura diante dos que já morreram. E também refletirmos das más práticas que devemos manter longe de nós quando o assunto é a morte de entes queridos.
Visitar o túmulo de entes queridos que já morreram é correto?

Devemos visitar o túmulo dos que já morreram?

(1) Sabemos que quando uma pessoa morre seu destino eterno é selado. Não cabe a nós ficarmos debatendo se uma pessoa foi salva ou não. Isso é papel do soberano juiz, Deus (Hebreus 9:27). Sendo assim, podemos definir que visitar túmulos com qualquer objetivo de orar em favor do morto ou de tentar de alguma forma interceder por ele e seu destino eterno, é algo que vai contra o ensino bíblico.
A prática de oração por mortos vem da tradição católica e é pautada na tradição (dogmas) e em livros apócrifos como o livro de Macabeus (que nem nós e nem os judeus reconhecem como sendo inspirados). Mas sabemos que a Bíblia é clara quando nos ensina que a morte sela nosso destino eterno e que os vivos não podem fazer nada pelos que já morreram: “Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo…” (Hebreus 9:27). Sendo assim, visitar túmulos com esse tipo de objetivo não é correto biblicamente.

(2) Também considero errada a prática muito realizada no dia de finados, que é a de visitar túmulos com o objetivo de agradecer mortos por graças alcançadas ou mesmo fazer-lhes promessas como se pudessem de alguma forma realizar algo pelo vivos. Esse tipo de visita aos túmulos também é contrária ao que a Bíblia nos ensina: “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1 Timóteo 2:5). Não há mediadores entre nós e Deus além de Jesus. Ele é o único.


(3) Esclarecidas essas formas erradas mais comuns de lidar com os que já morreram, creio que podemos encontrar visitas aos túmulos que não considero que firam qualquer ponto da palavra de Deus: Quando alguém visita um túmulo de um ente querido com o fim de deixá-lo cuidado, limpo, bem apresentável, não comete pecado. Cuidar do lugar onde foi enterrado nosso ente querido é uma prática digna e que honra a memória do falecido. Não há mal em fazer isso.
Ir a um túmulo com o objetivo de reflexão também não é errado. Muitas vezes o falecido deixou um grande legado. Ir até aquele local para reflexão sobre a própria vida, sobre os ensinos, sobre como anda nossa própria vida também não vai contra a palavra de Deus.
Dentro desse ponto, ainda creio que ir até o túmulo de um ente querido como uma forma de satisfazer o sentimento de saudade também não fere princípios da Palavra do Senhor. É uma forma saudável de lidar com a perda, com a dor do luto.


(4) Sendo assim, é preciso haver equilíbrio a respeito de como tratamos a morte. A Bíblia nos dá instruções claras sobre o que é incorreto fazer com relação aos que já morreram (orar por eles, buscar bênçãos através deles, mediação ou proteção deles), mas não nos proíbe de cuidar do local onde foram enterrados e nem de sentirmos saudades e refletirmos a respeito dos ensinos e da brevidade da vida. Nesse sentido, visitar o túmulo de entes queridos que já morreram não é pecado. Aliás, todos deveriam fazer isso de vez em quando, como Salomão nos ensinou: “Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, pois naquela se vê o fim de todos os homens; e os vivos que o tomem em consideração” (Eclesiastes 7:2).

Compartilhe a Bênção:

Esboçando Ideias

AVISO: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeituosas e construtivas. O espaço abaixo é destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail válido).